terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Para atravessar contigo o deserto do mundo!

E aqui vos deixo algo que guardava há tanto tempo que me esqueci do tempo em que o guardei... junto a mim e ao meu peito, ansiando poder soltar-se como o grito mudo que invade a noite fria...
E agora permito-me dizê-lo ao mundo, comungar desta experiência avassaladora que me corroi e me amedronta tanto que as palavras saem sem contexto, sem nexo ou nem chegam a sair... porque suspender o peito por demasiado tempo leva-nos a comprimir os pulmões e o constrangimento do ar puro delonga-se a invadir o meu corpo...
Pelas palavras desta grande Senhora, vos deixo o que de mais profundo habita em mim....

Para atravessar contigo o deserto do mundo

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei


Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso


Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo


Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento
Sophia de Mello Breyner Andresen
Livro Sexto (1962)

3 comentários:

fs2 disse...

"Era um amor que se esgotava no amar como se esgota em si a geometria da perfeição." - V.F. ;)

xk disse...

lindo/a passeio/viagem
a dois

fs3 disse...

fs2 - é inesgotável parece-me...

xk - obrigada, é de facto lindo...

 

a perca © 2008. Chaotic Soul :: Converted by Randomness